Caixa já contratou R$ 14 bi para 580 projetos do PAC

A Caixa Econômica Federal (CEF) contratou no ano até dezembro R$ 14 bilhões para 580 projetos do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), informou o vice-presidente de Atendimento da instituição, Carlos Augusto Borges. "São projetos de vários tipos, como para área de risco; hidrelétrica, saneamento, drenagem e outros", disse.Borges observou que o número de contratados supera a metade dos projetos do PAC selecionados para ter a participação da Caixa. No total, são 1,026 mil projetos do PAC, no valor total de R$ 26 bilhões, que estão na responsabilidade da instituição. HabitaçãoSegundo Borges, a Caixa vai atingir "com certeza" a meta de financiamento habitacional deste ano de R$ 17,4 bilhões. De acordo com ele, até a terça-feira (dia 18), a instituição tinha contratado R$ 16,7 bilhões em crédito imobiliário este ano, para 692 mil unidades.Para o ano que vem, o volume de recursos destinado ao crédito imobiliário ainda não foi decidido mas já se sabe que será superior ao deste ano. Só os recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para empréstimos habitacionais subiram de R$ 5,6 bilhões para R$ 8,4 bilhões. Além disso, a Caixa pretende usar no ano que vem para a mesma finalidade R$ 6 bilhões do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), em vez dos R$ 4 bilhões deste ano. Outras fontes de recursos, como o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e o orçamento ainda não estão com a definição do valor a ser destinado para os financiamentos imobiliários da Caixa.AcordoA Caixa e a Construtora Tenda firmaram hoje parceria em que a empresa se torna correspondente imobiliária da instituição financeira. A construtora poderá receber propostas de financiamentos imobiliários, facilitando o atendimento a clientes e dando mais rapidez às vendas. De acordo com Borges e o diretor administrativo da Tenda, André Vieira, o acordo permitirá a redução dos custos operacionais de contratação dos financiamentos.A Tenda é focada em construção e comercialização de residências com valor entre R$ 60 mil e R$ 120 mil para famílias com renda de até 10 salários mínimos. Ou seja, para os clientes da empresa, o financiamento de longo prazo é essencial. A expectativa de venda da construtora para o ano que vem é de 22 mil unidades, bem superior a de oito mil deste ano. Só em construção, a empresa vai investir R$ 600 milhões no ano que vem. Segundo Vieira, o investimento em outras áreas em 2008 ainda não foi decidido. Ele também considerou essencial a abertura de capital da Tenda, em outubro, para permitir o crescimento esperado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.