Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Caixa lança empréstimo via celular, de R$ 300 a R$ 1.000; veja como funciona e quem pode pedir

Crédito será por meio do aplicativo Caixa Tem, o mesmo do pagamento do auxílio emergencial

Marcelo Mota e Eduardo Gayer, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2021 | 12h19
Atualizado 28 de setembro de 2021 | 14h10

SÃO PAULO - Lançado para atender sobretudo os mais "vulneráveis", segundo o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, o créditoque pode ser contratado diretamente por meio do celular ainda precisará se provar eficiente na prática. Na opinião de um especialista no tema, sem renda, emprego ou bens, boa parte desses mais de 100 milhões de brasileiros cadastrados no aplicativo Caixa Tem, pelo qual receberam o auxílio emergencial, terão dificuldade em obter os empréstimos ou, se conseguirem, de pagar as parcelas.

"Estas pessoas tomam crédito entre 15% e 20% ao mês. Pegam de agiota, pegam de fora do sistema financeiro", disse Guimarães, comovido, em mensagem transmitida durante a cerimônia de lançamento do Crédito Caixa Tem, convertida também em celebração pelos mil dias de Jair Bolsonaro na presidência, que contou com a presença do próprio. "Esse crédito, de R$ 300 a R$ 1 mil, com 24 meses para pagar e taxa de 3,99% ao mês, será o primeiro crédito bancário de dezenas de milhões de pessoas."

"Teoricamente, esse pessoal não tem renda para pagar por isso. Por menor que seja o valor do empréstimo, as pessoas nessa faixa estão em situação financeira muito delicada", disse o especialista no setor bancário, que preferiu não se identificar. Para ele, ou a análise desse crédito será muito restritiva, e nesse caso beneficiaria um contingente muito inferior ao universo dos contemplados pelo auxílio emergencial, ou a Caixa pode sofrer com inadimplência muito elevada. "É um crédito de altíssimo risco."

Segundo Guimarães, à medida em que o banco público for capaz de formar histórico de pagamento desses empréstimos, poderá oferecer condições melhores. "Podemos aumentar o crédito e diminuir os juros."

Nas condições em que está, ainda que o custo seja baixo se comparado às taxas praticadas fora do sistema financeiro, ainda é elevado, na opinião do especialista. "A 4% ao mês, ainda é bem alto, não dá para brincar", diz ele, que acredita que, assim mesmo, algum acesso a crédito essa linha promoverá. "É uma ajuda, não tenha dúvida."

Dificilmente, segundo o analista, isso mudará o quadro competitivo do setor financeiro, já que o montante a ser concedido por meio do aplicativo não deve chegar a ser relevante a esse ponto. "Vai facilitar o acesso, mas mudar o jogo, não, porque a Caixa não é preponderante o sistema. Vai atingir uma faixa do mercado, que não é a faixa dominante."

Como funciona a linha de crédito da Caixa pelo celular

As condições valem para as duas linhas da nova modalidade, para crédito pessoal e empresarial. Ambas podem ser contratadas por aqueles que já abriram conta por meio do Caixa Tem e fazem aniversário em janeiro ou fevereiro. A escala se completa com os aniversariantes dos demais meses, bem como aqueles que ainda não têm conta aberta por meio do aplicativo, até o fim do ano.

Não são elegíveis ao crédito, no entanto, aqueles que tenham alguma restrição bancária. A Caixa também não deixou claro se é necessária a comprovação de renda para a obtenção do empréstimo. Informou apenas que é necessária a atualização de cadastro para incluir informações como endereço e renda, que não eram exigidas na versão anterior e são necessárias à avaliação do crédito.

Antes de solicitar o crédito, aqueles que já têm uma Poupança Social Digital da Caixa precisarão fazer a atualização do aplicativo Caixa Tem. Uma vez baixada a nova versão, o cliente selecionará a opção "Atualize seu cadastro" no menu e então proverá as informações necessárias à avaliação de seu risco de crédito e que não constavam do modelo de cadastro da conta anterior, aberta sem todos os dados para solicitação e avaliação do empréstimo, como renda e endereço.

A Caixa informa que o passo a passo da atualização prevê ainda a digitalização de documento de identidade e foto "selfie" do usuário. O cliente terá a avaliação do seu cadastro concluída em até 10 dias.

Cumprida essa etapa, a conta será convertida em uma Poupança Digital+, da qual já constará a opção "Crédito Caixa Tem". Por meio dela, será possível solicitar o empréstimo e também fazer uma simulação, na qual o cliente indica valor que pretende contratar e a quantidade de parcelas em que pretende saldar o débito.

Não serão concedidos empréstimos a negativados.

A avaliação é automática, a partir da verificação do limite disponibilizado para cada cliente, conforme o cadastro. Aprovado, o empréstimo é creditado na Poupança Digital+, da qual também serão debitadas as parcelas, mensalmente.

A disponibilização da linha será escalonada, conforme a data de aniversário dos clientes, como foi feito com o auxílio emergencial. O empréstimo pode ser solicitado a partir de hoje por quem nasceu em janeiro ou fevereiro. Em 18 de outubro, estará aberto aos aniversariantes de março e abril e, em 8 de novembro, chega a vez dos nascidos em maio ou junho. A escala prossegue com grupos segregados pelos três bimestres seguintes, em 29 de novembro, 13 e 27 de dezembro, sucessivamente.

Os novos clientes poderão abrir suas contas a partir de 8 de novembro. O aplicativo permitirá a solicitações de crédito feitas por quem nasceu no primeiro semestre, dentro desse grupo. Os seguintes seguem a mesma escala montada para os antigos clientes.

Em relação à comprovação de renda, a Caixa não respondeu quais serão as alternativas até a publicação desta reportagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.