seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Caixa não vai descontar dos servidores os dias de greve

Servidores, entretanto, terão de compensar dias não trabalhados em paralisações feitas antes de 3 de outubro

Gustavo Freire, da Agência Estado,

10 de outubro de 2007 | 17h02

A Caixa Econômica Federal não descontará os dias da greve realizada por seus servidores entre 3 e 9 de outubro. "O não desconto dos dias parados fez parte do acordo que fechamos para pôr fim ao movimento", disse à Agência Estado o vice-presidente de Gestão de Pessoas da Caixa, Carlos Gomes de Freitas. Os servidores da Caixa, entretanto, terão de compensar os dias não trabalhados em paralisações parciais feitas antes do dia 3 de outubro. No Banco Central (BC), os dias da greve realizada entre 3 de maio e 15 de junho foram descontados e até o momento não houve um acerto entre os servidores do banco e a direção do BC para reverter a decisão.A greve, de acordo com o vice-presidente da Caixa, não provocou grandes transtornos para os clientes da instituição. "Além das agências, a Caixa conta hoje com uma boa rede de pontos de atendimento e com as casas lotéricas", comentou. Por este motivo, ele acredita que a paralisação não deva ter provocado grandes atrasos no pagamento de documentos de cobrança, de documentos de pagamento e da guia de contribuição sindical. Mesmo assim, a Caixa dará cinco dias úteis para o pagamento de documentos de cobrança sem a incidência de encargos e dois para o pagamento da contribuição sindical e dos documentos de cobrança. "Não temos notícia de grandes dificuldades para os clientes", disse.Com a greve, os 74.164 empregados da Caixa terão direito a um reajuste salarial de aproximadamente 6%. Com o reajuste, o piso salarial dos servidores passará de R$ 1.173,00 para R$ 1.243,00. "O piso que pagamos é maior que o dos bancos privados", afirmou Carlos Gomes. O valor da folha de salários da Caixa, com o aumento, subirá cerca de R$ 320 milhões e passará a ficar acima dos R$ 6 bilhões. Além do reajuste, a Caixa ainda pagará R$ 315 milhões em participação nos lucros e resultados. A primeira parcela já será desembolsada pela Caixa no próximo dia 20 e a parcela final será quitada em março de 2008. "A greve dá um certo trabalho. Mas é um instrumento democrático. Temos que respeitar", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Caixa Econômica FederalGreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.