Andre Penner/AP
Andre Penner/AP

Caixa oferece pausa em pagamento de empréstimo e isenção de tarifas a moradores de Brumadinho

Para clientes do município, o banco vai oferecer pausa especial de pagamento até 90 dias nas operações de Crédito Pessoal e Crédito Direto ao Consumidor (CDC), além de até 60 dias de carência para 1ª parcela em novos contratos

Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo

28 de janeiro de 2019 | 16h17

A Caixa Econômica Federal vai conceder uma pausa no pagamento de operações de crédito feitas pela população de Brumadinho (MG), onde uma barragem da Vale se rompeu na última sexta-feira, dia 25, e ainda isenção de tarifas. As ações, conforme divulgou o banco nesta segunda-feira, 28, visam a atender clientes, empresas, beneficiários de programas sociais e os moradores em geral, atingidos na região.

Para os clientes do município, a Caixa vai oferecer pausa especial de pagamento até 90 dias nas operações de Crédito Pessoal e Crédito Direto ao Consumidor (CDC), além de até 60 dias de carência para 1ª parcela em novos contratos. Haverá isenção de três meses também nas tarifas da cesta serviços para os correntistas.

Para as empresas da região, o banco concederá pausa de até três meses para pagamento das parcelas das operações de crédito e isenção de cesta de serviços pelo período de três meses para correntistas. No crédito habitacional, haverá pausa de até 90 dias nas prestações do financiamento imobiliário.

Os trabalhadores que tiverem residência na área afetada poderão solicitar o saque do FGTS, conforme previsto na Lei 10.878/04. O limite máximo será R$ 6.220,00 por pessoa.

A Caixa estendeu o horário de atendimento das agências de Brumadinho e próximas ao município e deslocou um Caminhão-agência, para reforçar o atendimento bancário na cidade a partir desta terça-feira, dia 29. O banco também abriu uma conta para que brasileiros de todo o país possam enviar ajuda aos atingidos pela tragédia. Os dados da conta poupança, com nome "Juntos por Brumadinho", são: agência 2808, operação 013, conta 3-5.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.