Caixa reduz juros para compra da casa própria

Banco ampliou de R$ 27 bi para R$ 30 bi recursos que serão liberados este ano para este tipo de financiamento

Isabel Sobral, O Estadao de S.Paulo

06 de junho de 2009 | 00h00

Após a decisão de seus principais competidores de reduzir juros e ampliar prazo dos financiamentos habitacionais, a Caixa Econômica Federal anunciou ontem uma redução de meio ponto porcentual dos juros cobrados nos empréstimos para compra da casa própria que utilizam recursos das cadernetas de poupança. Dona de uma fatia de 70% do mercado de crédito imobiliário, a Caixa decidiu ainda aumentar para R$ 30 bilhões a projeção de recursos que serão liberados este ano para este tipo de financiamento. A previsão anterior era de R$ 27 bilhões para 2009. Para compra de imóveis no âmbito do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), as novas taxas irão de 8,2% ao ano a 8,9% ao ano mais TR para moradias avaliadas em até R$ 150 mil. Para a aquisição entre R$ 150 mil e R$ 500 mil, os juros vão de 9,5% a 10,5% ao ano mais TR. Os juros variam de acordo com a opção de pagamento dos clientes, sendo mais baixo para quem possui cesta de serviços e mais alto para os que optarem por fazer o pagamento via boleto. Fora do SFH, os financiamentos para imóveis avaliados em mais de R$ 500 mil terão a taxa de juros variando agora entre 10,5% ao ano e 11,5% ao ano mais TR. O vice-presidente do banco público, Jorge Hereda, disse que é uma "prática periódica" da instituição recalcular as suas margens de ganhos em cada produto e, se houver elevações, repassar as diferenças para os clientes finais em forma de redução de juros. Mas, ele admitiu que o aumento da competição de outros bancos no crédito imobiliário pesou na decisão. "A gente não espera manter para sempre nossa posição porque a competição deve se acirrar, mas isso é bom para o mercado", disse Hereda. Ele acrescentou, no entanto, que a meta da Caixa sempre será ter os juros mais baixos do mercado no setor habitacional. "E dentro da responsabilidade, isso será perseguido", disse. De janeiro a maio deste ano, a Caixa informou ter liberado R$ 13,2 bilhões em financiamentos habitacionais, valor 106% superior ao acumulado nos mesmos meses de 2008. Em número de contratos assinados, foram 275, 5 mil, uma evolução de 113% ante os cinco primeiros meses do ano passado. De acordo com a Caixa, a redução de meio ponto porcentual nas taxas de juros pode representar uma queda de até 10,58% no valor da prestação final dos tomadores de crédito. Essa será a redução, por exemplo, da prestação de um comprador de 30 anos de idade que financiar um imóvel no valor de R$ 150 mil, num prazo de até 30 anos, de acordo com uma simulação divulgada pelo banco estatal. A idade do tomador de crédito é importante porque, quanto mais baixa, menor é o valor do seguro do imóvel. Com a taxa anterior de juros, esse mutuário pagaria R$ 1.515,27 por mês. Agora, com as novas taxas, o pagamento será de R$ 1.354,96. Se o imóvel for avaliado em R$ 400 mil no mesmo prazo, a redução chega a 5,61% - ou seja, uma prestação de R$ 2.282,95 cai para R$ 2.154,86.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.