Caixa também mira imigrantes

Em julho deste ano, a Caixa Econômica Federal firmou um convênio com o El Centro Boliviano. No local, funciona um correspondente do banco onde é possível pagar contas, fazer saques, depósitos e transferir dinheiro. Quem possui visto permanente também pode fazer um consórcio. Na Agência Brás, responsável pelo convênio, o atendimento é em português e espanhol. 

Yolanda Fordelone, O Estado de S. Paulo

27 de setembro de 2014 | 06h20

Na Agência Celso Garcia, o objetivo é a bancarização não só de bolivianos, mas de outros residentes do Mercosul. "A ação de bancarização leva dignidade e sensação de integração", afirma o banco. Segundo a Caixa, ainda não está autorizada a abertura de contas de estrangeiros via correspondente. Porém, já está em andamento a solicitação de aprovação de um projeto piloto para esses casos.

Tudo o que sabemos sobre:
remessas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.