Caixa tem plano de demissão voluntária

A Caixa Econômica Federal montou dez Centros de Orientação Profissional nas principais capitais brasileiras para atender aos funcionários que aderirem ao Programa de Apoio à Demissão Voluntária (PADV). O período de adesão ao novo plano de demissão do banco começou na última segunda-feira e termina no dia 27. O objetivo dos centros de ajuda aos funcionários é dar apoio à retomada profissional dos ex-servidores públicos da Caixa ou orientação para a abertura de negócios.O PADV é parte de um conjunto de ações da Caixa para cortar despesas da empresa. A Caixa possui distorções salariais que, ao longo dos últimos anos, contribuíram para distanciar os vencimentos pagos pela instituição da realidade do mercado. No primeiro semestre do ano passado, os gastos com a folha de pagamento dos 52.000 funcionários foi de R$ 1,65 bilhão. No primeiro semestre deste ano houve um pequeno aumento e a Caixa gastou R$ 1,69 bilhão para pagar os empregados.O alvo da Caixa são escriturários, auxiliares de serviços gerais e empregados da carreira profissional, ou seja, médicos, professores, engenheiros que prestaram concurso para integrar o quadro do banco. Profissionais da área financeira não poderão aderir.Aos funcionários que aderirem ao PADV, a Caixa está oferecendo o pagamento imediato das verbas rescisórias (saldo de salário, aviso prévio, férias, 13º salário, multa de 40% do FGTS), pagamento de contribuição ao sistema de previdência privada por até 60 meses, pagamento do plano de saúde por 12 meses, além da assessoria para recolocação profissional nos Centro de Orientação Profissional. Depois de terminado o prazo, a Caixa fará os cálculos para saber se a economia foi suficiente ou se será preciso um novo plano de demissão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.