Calçadistas aceitam reduzir exportações à Argentina

O setor calçadista brasileiro fechou hoje um acordo com a Argentina que reduz suas exportações de 18,5 milhões de pares de calçados enviados em 2008 para 15 milhões de pares em 2009. A decisão foi tomada hoje, em Buenos Aires, durante reunião entre os empresários do setor de ambos os países. "O acordo vai durar até dezembro de 2011, com revisões anuais", segundo informou à Agência Estado o diretor executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein.

MARINA GUIMARÃES, Agencia Estado

05 de junho de 2009 | 20h03

"Aceitamos a extensão do prazo para aliviar a pressão dos embarques de mercadorias que estão travadas pelas licenças não automáticas", justificou em referência às barreiras argentinas que afetam hoje 14% do total das exportações brasileiras ao mercado do sócio do Mercosul. Porém, em lugar de criticar as barreiras argentinas que levaram o Brasil a ter que aceitar as cotas de exportações, o presidente da Abicalçados, Milton Cardoso, elogiou a proteção argentina.

"Tanto na Argentina quanto no Brasil estamos sofrendo uma invasão absurda de calçados chineses, mas a Argentina é mais rápida nas decisões de defesa comercial", reclamou em entrevista aos correspondentes brasileiros. Cardoso criticou a demora do governo brasileiro para proteger sua indústria da concorrência chinesa. "O Brasil não tem acompanhado o crescimento do país nessa área e o governo precisa reforçar sua defesa comercial", disse ele.

Tudo o que sabemos sobre:
calçadosexportaçõesArgentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.