Calçadistas consideram positivas mudanças cambiais da China

Os calçadistas brasileiros consideraram positivas as mudanças de regime cambial anunciadas hoje por Pequim. "Sem dúvida, é uma alteração importante. O valor da apreciação (2%) é ínfimo, mas, se não for apenas de fachada, a alteração poderá ter um impacto futuro importante na participação brasileira no comércio mundial", disse o diretor-executivo da Associação Brasileira da Indústria de Calçados (Abicalçados).A China é um grande concorrente dos calçados brasileiros no comércio internacional, sobretudo nos mercados de Estados Unidos e Europa Central. E a apreciação do yuan, ao tornar mais caros os produtos chineses, poderia abrir espaço para uma maior participação brasileira no Exterior.Ao mesmo tempo, lembrou o empresário, as importações de calçados chineses pelo Brasil ficarão menos competitivas, beneficiando a indústria local.A forte competição da China no mercado brasileiro foi a principal razão da demanda apresentada ao governo pelos fabricantes de calçados para aumento da taxa de importação do produto para 35%.A proposta, encampada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, será apresentada na próxima reunião da Câmara de Comércio Exterior (Camex), em agosto. Mas precisará ser discutida no âmbito do Mercosul, por conta da Tarifa Externa Comum (TEC).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.