finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Calçadistas consideram positivas mudanças cambiais da China

Os calçadistas brasileiros consideraram positivas as mudanças de regime cambial anunciadas hoje por Pequim. "Sem dúvida, é uma alteração importante. O valor da apreciação (2%) é ínfimo, mas, se não for apenas de fachada, a alteração poderá ter um impacto futuro importante na participação brasileira no comércio mundial", disse o diretor-executivo da Associação Brasileira da Indústria de Calçados (Abicalçados).A China é um grande concorrente dos calçados brasileiros no comércio internacional, sobretudo nos mercados de Estados Unidos e Europa Central. E a apreciação do yuan, ao tornar mais caros os produtos chineses, poderia abrir espaço para uma maior participação brasileira no Exterior.Ao mesmo tempo, lembrou o empresário, as importações de calçados chineses pelo Brasil ficarão menos competitivas, beneficiando a indústria local.A forte competição da China no mercado brasileiro foi a principal razão da demanda apresentada ao governo pelos fabricantes de calçados para aumento da taxa de importação do produto para 35%.A proposta, encampada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, será apresentada na próxima reunião da Câmara de Comércio Exterior (Camex), em agosto. Mas precisará ser discutida no âmbito do Mercosul, por conta da Tarifa Externa Comum (TEC).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.