Calote aumenta com desemprego e queda de renda

O cenário econômico desfavorável é um dos principais responsáveis pela elevação da inadimplência. Pesquisa realizada na primeira quinzena de janeiro pelo Grupo Unidos (especializado em recuperação de crédito) revela que, entre os principais motivos para a inadimplência no País, o desemprego e a redução de renda foram os únicos que registraram crescimento, superando os níveis registrados no ano passado. Segundo a pesquisa, 13,7% dos entrevistados estavam inadimplentes porque perderam o emprego, ante 13,1% na média de 2001. O motivo redução de renda, que no ano passado tinha sido apontado por 7%, subiu para 7,7% das respostas. Emprestar o nome para um amigo ou parente abrir um crediário continua a ser o maior motivo para o calote, mas o índice manteve-se estável, com 21,2% das respostas. Foram entrevistados 28.202 consumidores endividados em todo o País. O segundo motivo mais citado, com 17,2% das respostas, é o atraso de salário. Em 2001, este item tinha sido assinalado por 17,9% dos entrevistados. Para o diretor do Grupo Unidos Júlio Shinohara, uma queda mais acentuada nas taxas de juros até o fim do ano poderá contribuir para uma redução maior do calote.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.