Câmara analisa quebra de sigilo de votação do Copom

Segundo o deputado Fernando Coruja (PPS-SC), autor do projeto, não há justificativa para a confidencialidade

MILTON F. DA ROCHA FILHO, Agencia Estado

11 de outubro de 2007 | 16h06

Um projeto de lei do deputado Fernando Coruja (PPS-SC) pede a quebra do sigilo nas votações do Conselho de Política Monetária (Copom). A proposta determina que os votos sobre a variação da taxa básica de juros do País, a Selic, proferidos somente pelos diretores do Banco Central, tenham de ser fundamentados e tornados públicos.   Atualmente, o Copom divulga apenas uma ata da qual consta unicamente a decisão. A proposta, sujeita à votação do Plenário, tramita em regime de prioridade e será analisada antes pelas comissões de Finanças e Tributação, Constituição e Justiça e de Cidadania.   Na avaliação do deputado, não se justifica a confidencialidade com que são tratadas as reuniões. Coruja lembra que as reuniões do Copom norte-americano são gravadas. Em 1990, um deputado exigiu a divulgação das fitas. O Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), comprometeu-se a divulgar as transcrições após embargo de cinco anos.

Mais conteúdo sobre:
jurosCopom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.