Câmara argentina discute fim da conversibilidade

Os deputados argentinos realizam nesta tarde a sessão de debate e votação do projeto de lei de Emergência Pública e Reforma do Sistema Tributário proposto pelo governo, que acaba com 10 anos de conversibilidade do peso. Por divergência entre os próprios peronistas, do partido do presidente Eduardo Duhalde, o projeto que entra em debate sofreu algumas mudanças em relação à proposta original e agora contempla um mecanismo de pesificação para as dívidas hipotecárias de moradia abaixo de US$ 100 mil. A precisão sobre o montante da pesificação das dívidas em dólares do sistema financeiro foi o tema de maior divergência entre os deputados e o governo. Os justicialistas não queiram deixar esse montante sem definição. Se for aprovado hoje, como se prevê, o projeto segue ao Senado para análise e votação ainda neste fim de semana. A intenção do governo argentino é apresentar o plano aprovado à nação até, no máximo, domingo à noite. Já foi decretado feriado bancário na segunda e terça-feiras.O anteprojeto não sofreu mudanças no ponto essencial para o Executivo, que dá plenos poderes ao governo por dois anos para reordenar o sistema financeiro, reativar a economia, aumentar o nível de empregos e criar condições para o crescimento econômico e sustentável, segundo informações divulgadas pela edição online do jornal Clarín. O governo também terá poder para definir a relação entre o peso e outras moedas estrangeiras. As entidades financeiras, segundo o projeto, terão medidas compensatórias, que podem incluir a emissão de títulos do governo garantidos em moeda estrangeira.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.