Câmara Brasil-Alemanha pede juro menor e menos imposto

O presidente da Câmara Brasil-Alemanha, Ben van Schaik, disse hoje que, embora as bases macroeconômicas sejam boas, como a inflação sob controle, câmbio estável e contas externas equilibradas, faltam outros aspectos para o desenvolvimento do Brasil."É um enigma como a economia (brasileira) ainda funciona com esse nível de juros e carga tributária gigantesca, que não preciso dizer que está entre as mais altas do mundo", disse o executivo durante o almoço no qual foram debatidas as perspectivas para economia brasileira em 2004Segundo ele, ?para alcançar índices de crescimento mais consistentes, é necessário reduzir os juros, já que a situação atual freia os investimentos diretos e desacelera a economia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.