Câmara chilena aprova tratado de livre comércio com EUA

Manifestantes do partido comunista, da central de trabalhadores e membros de grupos anti-globalização jogaram moedas e insultaram os deputados. Mas, apesar dos protestos, a câmara do Chile aprovou nesta terça-feira, por 87 a 8 (com 8 abstenções), um tratado de livre comércio com os EUA. O governo chileno manifestou otimismo com a aprovação e disse que o tratado trará benefícios importantes para a economia local, atraindo investidores e promovendo a criação de empregos. Agora, a proposta do tratado deve ser levada ao senado chileno, que também deve aprová-la. Espera-se, entretanto, uma votação mais apertada.O tratado eliminará barreiras a mais de 70% do intercâmbio comercial bilateral, que supera US$ 6 bilhões e registra um superávit de US$ 900 milhões para o Chile. O governo chileno espera que ele entre em vigor já no começo de 2004.Nos últimos meses, o país firmou acordos semelhantes com a União Européia, Coréia do Sul e Associação Européia de Livre Comércio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.