Câmara de Medicamentos multa laboratórios

A Câmara de Medicamentos multou ontem os laboratórios TRB Pharma, Stafford Miller e Maragliano por aumentarem o preço de seus remédios além dos índices fixados pelo governo em medida provisória de dezembro. Pela medida, a indústria farmacêutica poderia reajustar os remédios de 4,4% a 5,94% nos itens que não tivessem sido aumentados nos últimos 16 meses. Agora, o preço deve ficar congelado até o fim do ano.As multas aplicadas são de R$ 11.443 (Maragliano), R$ 75.844,86 e R$ 118.724 mil (TRB Pharma). Os valores das multas foram fixados com base na condição econômica de cada empresa, dano causado ao consumidor e na gravidade da infração. A Câmara de Medicamentos também abriu processo administrativo contra o laboratório Libbs Farmacêutica. A empresa, porém, não chegou a ser punida, porque reverteu os aumentos antes de pôr os remédios no mercado.Também foram abertos processos contra os laboratórios Neoquímica, Hexal do Brasil/QIF e Cifarma. No caso do Neoquímica, o processo foi instaurado porque o laboratórito teria feito reajustes após 31 de janeiro e aumento em 6,90% o preço do produto Fungimax. O Hexal, por sua vez, é acusado de lançar produto no mercado sem autorização da câmara, e o Cifarma por vender remédios com nova embalagem. (Chico Araújo)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.