Câmara dos EUA aprova acordo comercial com o Peru

Por 285 votos a 132, a Câmara dos Representantes dos EUA aprovou o projeto de acordo de livre comércio com o Peru. É a primeira vez, desde que o Partido Democrata (de oposição ao presidente Bush) conquistou maioria no Congresso, que um acordo de livre comércio é aprovado no Legislativo norte-americano. Os democratas normalmente se opõem a acordos desse tipo, por julgarem que eles provocam redução no número de empregos nos EUA. O acordo ainda depende de aprovação no Senado.Dos 225 deputados democratas, 116 votaram contra o projeto. Segundo o deputado democrata Michael Michaud (Maine), a indústria norte-americana perdeu 3 milhões de empregos desde a implantação do Nafta (Acordo de Livre Comércio da América do Norte, com México e Canadá, em 1994). "Todos nós vimos a cara feia de acordos comerciais que não resultam no que havia sido prometido", acrescentou. O acordo com o Peru, porém, "não é, nem remotamente, um novo Nafta. Nós aprendemos com aquela experiência", replicou o deputado Earl Blumenauer (democrata/Oregon).Pelo acordo aprovado, o Peru deverá eliminar imediatamente tarifas incidentes sobre 80% de suas importações de produtos industriais norte-americanos e 67% das de produtos agrícolas, o que poderá elevar as exportações norte-americanas em US$ 1 bilhão por ano. Em 2006, as exportações peruanas para os EUA somaram US$ 5,9 bilhões (praticamente tudo sem pagamento de tarifas) e as exportações norte-americanas para o Peru somaram US$ 2,9 bilhões. O acordo também prevê a abertura do Peru a investimentos norte-americanos e a garantia de direitos de propriedade intelectual.O deputado David Dreier (Partido Republicano/Califórnia) disse que o acordo também poderá servir para combater a influência anti-EUA do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, na região. "Esta é uma batalha por corações e mentes, um combate para assegurar que a liberdade e o império da lei prevaleçam sobre a tirania", disse Dreier. As informações são da Dow Jones.

RENATO MARTINS, Agencia Estado

08 de novembro de 2007 | 15h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.