Câmara dos EUA aprova orçamento 2009 apesar da oposição de Bush

A Câmara dos Deputados aprovou nestaquinta-feira o orçamento para o ano de 2009 visando atingirsuperávit até 2012, rejeitando vários cortes de gastosdomésticos do presidente George W. Bush. Em um votação partidária, 212 contra 207 votos, a Câmaraaprovou o orçamento de 3 trilhões de dólares, que irá ajudarcomitês congressionais que formulam leis tributárias e degastos. O ano fiscal de 2009 começa em 1o de outubro. O projeto democrata prevê gastos em programas domésticos22,4 bilhões de dólares superiores ao valor pedido por Bushpara o próximo ano e mantém alguns cortes de impostos até 2010. A Casa Branca avisou que Bush vetará qualquer lei que gastemais do ele pediu para programas domésticos em fevereiro, equer que seus cortes de impostos permaneçam indefinidamente. O chairman do Comitê Orçamentário da Câmara dos Deputados,John Spratt, democrata que criou a medida, acusou osrepublicanos de oferecerem um orçamento alternativo que irápagar pelos contínuos cortes de impostos de Bush "castrandoprogramas domésticos de importância crítica". A Câmara rejeitou o plano orçamentário republicano antesaprovar o projeto democrata. O plano orçamentário do ano eleitoral projeta um déficit de340 bilhões de dólares em 2009, mas que deverá se transformarem um superávit de 178 bilhões de dólares em 2012. (Reportagem de Richard Cowan)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.