carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Câmara dos EUA aprova plano de resgate para montadoras

Pacote de ajuda beneficiará GM, Ford e Chrysler, e deverá ser submetido à votação no Senado

Agência Estado,

11 de dezembro de 2008 | 00h18

A Câmara dos Representantes dos EUA aprovou na noite desta quarta-feira, 10, o pacote de US$ 14 bilhões de ajuda ao setor automobilístico, mas a decisão das medidas no Senado ainda é incerta. Os deputados aprovaram o pacote por 237 votos a 170, com uma abstenção.   Veja também: Desemprego, a terceira fase da crise financeira global Lições de 29 Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise    A maioria dos republicanos se opôs ao projeto, enquanto uma grande maioria dos democratas votou a favor. Vinte republicanos também votaram a favor da proposta, juntando-se a 205 democratas.   O Senado deve votar o pacote nesta sexta-feira, mas, se democratas e republicanos chegarem a um acordo, a votação pode acontecer antes. Líderes democratas têm avisado que estão dispostos a trabalhar no final de semana, se necessário. Assessores do líder da maioria no Senado, o democrata Harry Reid, sugeriram na noite desta quarta-feira que os republicanos possam votar separadamente sobre as emendas ao projeto, de forma que os senadores consigam manifestar suas objeções a determinados artigos do texto.   Na terça-feira à noite, os congressistas democratas e o governo Bush chegaram a um acordo sobre o socorro às montadoras. Ao longo da quarta-feira, porém, vários senadores republicanos e pelo menos um democrata afirmaram que tentariam impedir a aprovação do projeto. A porta-voz da Casa Branca, Dana Perino, disse que muitos congressistas democratas e republicanos concordam que a falência desordenada das montadoras poderia ser fatal para a indústria automobilística e teria um impacto devastador sobre toda a economia.   "Pretendemos continuar a trabalhar num caminho bipartidário nos próximos dias para chegar a uma lei que levará a montadoras viáveis e reestruturadas, ao mesmo tempo protegendo os interesses dos contribuintes", afirmou Perino, num comunicado. Esse pacto, no entanto, não conta com o apoio da maioria dos 49 senadores republicanos, que não estavam representados nas negociações sobre os detalhes do projeto.   A proposta prevê a concessão de empréstimos-ponte de emergência e a baixo custo para duas das chamadas Três Grandes montadoras dos EUA - General Motors (GM) e Chrysler. A terceira grande montadora, a Ford, não está solicitando empréstimo, mas apóia as outras duas. Em troca da ajuda financeira, as companhias serão obrigadas a apresentar um plano de reestruturação até o final de março de 2009. A lei também cria um "czar dos carros", encarregado de supervisionar a reestruturação das empresas.

Tudo o que sabemos sobre:
montadorasindústria automotivaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.