Câmara dos EUA prorroga seguro-desemprego

A Câmara dos Deputados dos EUA aprovou, por 331 a 83, uma prorrogação adicional do benefício do seguro-desemprego para os americanos nos Estados com os índices mais altos de desemprego. Se a medida for aprovada pelo Senado, será a quarta vez que o Congresso prorroga o benefício desde o início da recessão em dezembro de 2007.

SUZI KATZUMATA, Agencia Estado

22 de setembro de 2009 | 21h13

A nova ampliação em 13 semanas do seguro-desemprego estará disponível para residentes em 25 Estados, que possuem uma taxa de desemprego média de pelo menos 8,5% há três meses - cerca de 70% da população dos EUA, segundo os deputados democratas.

Se o Senado aprovar a prorrogação do seguro-desemprego, a assistência federal total para os americanos desempregados nos Estados mais atingidos pela recessão vai subir para 46 semanas. Os governos estaduais proporcionam benefícios adicionais, embora o período de tempo de disponibilidade desses benefícios varie de um Estado para outro. A taxa de desemprego nacional alcançou 9,7% em agosto, com a taxa nos Estados mais fracos, como Michigan, subindo acima de 15%.

Sem essa prorrogação, os democratas estimam que 400 mil desempregados poderiam esgotar seus benefícios no final de setembro, número que cresceria para 1 milhão até o final do ano. Desde o início da recessão, o Congresso também elevou em US$ 25 por semana o valor médio do benefício pago. O pagamento médio está agora ao redor de US$ 300 por semana, segundo assessores de deputados democratas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
seguro-desempregoEUACâmara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.