Câmara rejeita requerimento do DEM para adiar votação do FSB

Expectativa dos governistas, que são maioria na Casa, é votar a proposta ainda nesta quarta-feira

Eugênia Lopes, de O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2008 | 19h54

Por 254 votos contra e apenas 3 a favor, o plenário acaba de rejeitar o requerimento do DEM que pedia a retirada de pauta do projeto de lei que cria o  Fundo Soberano do Brasil (FSB). A expectativa dos governistas é votar a proposta ainda nesta quarta-feira.   Contrários à criação do Fundo Soberano, os partidos de oposição, DEM, PSDB e PPS, estão obstruindo a sessão para impedir a aprovação do projeto.    Mais cedo, o líder do governo na Câmara, deputado Henrique Fontana (PT-RS), ameaçou usar a maioria que a base aliada tem na Casa para aprovar a criação do Fundo, caso a oposição insista em barrar a proposta. "O fundo só traz coisas boas para a economia brasileira, por isso o meu apelo para que a oposição mude de idéia, e se ela não mudar nós queremos, com a maioria que temos com os partidos da base, aprovar o fundo ainda hoje", disse Fontana a jornalistas.     A oposição obstruiu a sessão mais cedo. O líder do PSDB, José Aníbal (SP), afirmou que o seu partido não concorda com a proposta. Aníbal ponderou que seria muito melhor usar esse recurso para suprir a saúde pública e adicionar recursos ao BNDES para a exportação. Fontana rebateu o argumento do tucano dizendo que se há uma necessidade de aumentar o orçamento da saúde em 3 ou 4 bilhões, "eu não posso usar o dinheiro do Fundo Soberano, tenho que usar um dinheiro do Tesouro, do Orçamento Geral da União."   (Com Reuters)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.