Câmara votará sobre Venezuela no Mercosul só em 2008

O presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), declarou hoje que a votação do Protocolo de Adesão da Venezuela ao Mercosul pelo plenário da Casa ficará para 2008. Portanto, não será concluída a tramitação do texto até a próxima Reunião de Cúpula do Mercosul, agendada para os dias 17 e 18 de dezembro, em Montevidéu. "O tema já entrou na pauta. Mas dificilmente será votado em 2007 em função do ano legislativo e das prioridades que definimos", afirmou Chinaglia, que, diante de parlamentares norte-americanos, evitou apresentar sua posição sobre o tema.Encaminhado em fevereiro passado ao Congresso Nacional, o texto foi aprovado pelas Comissões de Relações Exteriores e de Constituição e Justiça da Câmara. Depois da possível aprovação pelo plenário da Câmara, deverá seguir para a etapa mais difícil de sua tramitação, no Senado Federal, onde há maiores resistências ao ingresso da Venezuela ao bloco. Há três meses, essa suposta demora foi alvo de duras críticas do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que chegou a ameaçar com a retirada do pedido de ingresso de seu país como membro pleno do bloco.Questionado sobre a adesão da Venezuela ao Mercosul, o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Clifford M. Sobel, preferiu desconversar. "Cabe ao Mercosul definir quem pode se tornar seu membro ou não. Os Estados Unidos não fazem parte do Mercosul", afirmou. "Eu concordo", completou o congressista Eliot Engel (Democrata de Nova York), presidente da Subcomissão para o Hemisfério Ocidental da Câmara norte-americana e líder da delegação do Congresso de seu país em visita ao Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.