Câmbio: bancos pagarão US$ 3,3 bi por irregularidades

Cinco bancos concordaram nesta quarta-feira em pagar cerca de US$ 3,3 bilhões a reguladores dos EUA, Reino Unido e Suíça por supostas irregularidades cometidas nos mercados de câmbio. Os bancos envolvidas nos acordos foram o HSBC, Royal Bank of Scotland (RBS), UBS, Citigroup e JPMorgan Chase.

Estadão Conteúdo

12 de novembro de 2014 | 08h54

Com a Autoridade de Conduta Financeira (FCA, na sigla em inglês), do Reino Unido, o acerto com as instituições financeiras foi de 1,1 bilhão de libras (US$ 1,75 bilhão). Já a Comissão do Comércio de Futuros de Commodities (CFTC, pela sigla em inglês), dos EUA, fechou um acordo em torno de US$ 1,4 bilhão.

Separadamente, o regulador suíço FINMA determinou ao UBS que pague 134 milhões de francos suíços (US$ 139 milhões) para encerrar sua investigação sobre o assunto.

O Barclays, que estava na fase final de negociações com a FCA e a CFTC, no último instante desistiu de entrar no acordo geral com os demais bancos.

Investigações sobre a suposta manipulação dos mercados de câmbio por grandes bancos tiveram início no ano passado, por iniciativa da FCA.

Mais de 30 operadores de câmbio, incluindo alguns de todos os bancos envolvidos nos acertos de hoje, foram demitidos ou suspensos como parte da investigação. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
mundocâmbiobancosinvestigação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.