Câmbio duplo prejudica recuperação, diz BID

O economista-chefe do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para a América Latina, Guillermo Calvo, advertiu nesta segunda-feira que a dualidade cambial gera incerteza sobre a economia e não permitirá superar a crise.?Enquanto o tipo de câmbio dual for mantido, é importante que a cotação do câmbio do dólar livre não seja muito diferente de 1,40?, indicou.Especialista em economias emergentes e professor da Universidade de Maryland, Guillermo Calvo disse que há expectativas no exterior sobre uma decisão em relação à política monetária com tendência à pesificação total da economia argentina ou a uma dolarização ?a uma determinada cotação?.Segundo ele, a solução econômica pode ir por diferentes lados, "e qualquer um deles dependerá de uma decisão política?, ressaltou.Calvo classifica a pesificação como a solução ?mais fácil?, mas destacou que ?pesificar tudo significa que também deveriam ser pesificadas as dívidas fora do sistema financeiro e as dívidas externas, o que é fácil de dizer, mas não de executar? , admitiu.Ele explicou que, uma vez que todas as dívidas estejam em pesos, se poderia ?deixar a taxa de câmbio livre e, assim, não se criariam problemas, produto da incerteza?.Outra receita de Guillermo Calvo seria uma dolarização com uma certa taxa de câmbio, ?o que estabilizaria a situação do ponto de vista monetário e se evitariam casos extremos de mudar a taxa de câmbio?, explicou.Calvo diz ainda que ?é muito importante como será solucionada a questão do curralzinho, porque isso vai determinar a taxa de câmbio, que depende da liquidez que se coloca no sistema?, afirmou.Para ele, a situação é muito crítica e precisa ser decidida ?rapidamente?, reiterou.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.