Câmbio provoca salto nas importações de produtos populares

A valorização do real frente ao dólar está provocando um salto no volume de importações de produtos populares. A Associação Brasileira dos Importadores de Produtos Populares (Abipp) estima que neste ano as vendas crescerão para R$ 11 bilhões, ante R$ 8,3 bilhões em 2005, quando teve início a desvalorização do dólar. O volume de unidades importadas deverá chegar a 200 milhões, contra 130 milhões no ano passado. Os produtos populares incluem utensílios domésticos, como pratos, copos, travessas e formas; e artigos de decoração, como quadros, porta-retratos e miniaturas; brinquedos e artigos pessoais.Enquanto líderes industriais criticam o salto na importação de bens de consumo, como fator de fragilização da indústria nacional, o setor defende as importações, argumentando que o incremento vai gerar 80 mil empregos neste ano e, ao mesmo tempo, favorecer o consumo das classes C e D com produtos mais baratos. "O produto popular veio para garantir o direito de consumo das classes menos favorecidas", diz o presidente da Abipp, Gustavo Dedivitis, em comunicado.Selo de origemA Abipp lançou o selo Origem, Certificação e Qualidade para esclarecer aos órgãos fiscalizadores, aos comerciantes e aos consumidores quem, onde e com que qualidade fabrica os produtos vendidos em todo País.Empresários do setor de produtos populares reuniram-se com secretário de Comércio Exterior, Ivan Ramalho, pleiteando revisão nos chamados "preços mínimos" adotados pelos órgãos do governo para importação de produtos populares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.