Câmbio será fundamental para próxima safra, diz Ministro

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, avaliou que o câmbio será um fator determinante, em 2006, para a recuperação das perdas com a quebra da safra de grãos este ano. "Temos um horizonte na área de grãos ainda não muito otimista para o ano que vem". Conforme relatou, existem estimativas de queda na área plantada de 5% este ano que seriam somadas à redução na aplicação de calcário, fertilizantes, defensivos e sementes. Por este motivo, a perspectiva é de que a próxima safra de grãos atingirá um total de 120 milhões de toneladas, em comparação com volume de 112 milhões de toneladas colhidas neste ano. "A safra de grãos para o ano que vem não será expressiva, do tamanho que o Brasil pode produzir", afirmou. Por outro lado, segundo avaliou o ministro, os preços internacionais ainda estão baixos, de modo que o faturamento bruto da agricultura brasileira do ano que vem dependerá fundamentalmente da questão cambial", disse. Conforme Rodrigues, a expectativa é de que a flexibilização na redução da taxa de juros acabe trazendo reflexos para a valorização do dólar. "É isso que vai definir o que vai acontecer de fato no ano que vem, mas de qualquer maneira o setor de grãos não terá um horizonte favorável no primeiro semestre", acredita. Para os setores de carne, café, açúcar, álcool e suco de laranja, a expectativa é de um desempenho melhor em virtude dos preços internacionais valorizados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.