Camex monitora importação de leite para avaliar alíquota

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) vai monitorar as importações de leite para verificar se há necessidade de aumentar a alíquota do Imposto de Importação (II) do produto. Segundo a secretária-executiva da Camex, Lytha Spindola, até o momento "não há surto" de importação de leite.

ADRIANA FERNANDES, Agencia Estado

22 de setembro de 2009 | 19h25

O pleito de aumento do imposto foi feito pelo ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes. O ministro também queria que a Camex aumentasse de 10% para 35% a alíquota do Imposto de Importação sobre o trigo. O pleito também não foi atendido. A Camex decidiu criar um grupo de trabalho para discutir a tributação do trigo, que terá a primeira reunião amanhã.

Segundo o secretário de Comércio Exterior, Welber Barral, como o Brasil não é autossuficiente na produção do trigo a "calibragem" da alíquota é difícil. "Não pode entrar tanto trigo que dificulte a produção e nem pouco trigo que falte", disse. Um dos riscos apontados pelo ministro da Agricultura é de que os moinhos nacionais, com o aumento das importações, forcem os preços para baixo e o governo tenha que arcar com despesas mais altos para garantir o preço mínimo do produto.

Tudo o que sabemos sobre:
leiteimportaçõesCamex

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.