Camex reduz alíquota de importação de aço para petróleo

Para tentar contornar o desabastecimento no mercado nacional, a Câmara de Comércio Exterior (Camex) reduziu de 12% para 2% a alíquota de importação de dois tipos de chapas de aço utilizadas para a produção de bens de capital específicos para a indústria petrolífera. A medida tem validade de seis meses.

EDUARDO RODRIGUES, Agencia Estado

29 de julho de 2010 | 18h58

Segundo nota divulgada pela Camex, o desabastecimento é temporário. O documento afirma que, apesar de haver condições para a fabricação desses tipos de chapas no Brasil, no momento, não há produção no País de material com a resistência e a composição química necessária para essa função. Uma norma complementar ainda poderá ser emitida pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) para estabelecer cotas para a quantidade importada do produto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.