Camex sobretaxa importações de fios de viscose

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) decidiu hoje aplicar direito antidumping definitivo sobre as importações brasileiras de fios de viscose procedentes da Áustria, Índia, Indonésia, China,Tailândia e Taiwan. A medida valerá por cinco anos, e a sobretaxa às importações ficará entre US$ 0,08 e US$ 1,59 por quilo, dependendo do país e da empresa exportadora.

RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

15 de dezembro de 2009 | 19h48

A Camex aprovou hoje, também, a prorrogação do direito antidumping sobre as importações brasileiras vindas da China de magnésio metálico em formas brutas contendo pelos 99,8% de magnésio e sobre as importações de outros magnésios em formas brutas. De acordo com informação da Camex, a sobretaxa, US$ 1,18 por quilo de magnésio, foi prorrogada por mais cinco anos.A investigação da revisão do direito antidumping foi iniciada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) em dezembro de 2008, a pedido da Associação Brasileira de Alumínio (Abal).

Em outra decisão adotada hoje, a Camex retirou o direito antidumping sobre as importações de resinas PET da Argentina. Esse antiduming já estava suspenso desde 31 de janeiro de 2008, a pedido da empresa DAK Americas Argentina S.A., única exportadora do produto, à época.

A Camex aprovou hoje também a decisão do Mercosul de manter em 100 itens a lista de exceção à Tarifa Externa Comum (TEC) até 31 de dezembro de 2011. O governo brasileiro já havia iniciado a redução dessa lista, uma vez que estava prevista sua extinção no próximo ano. Como a Argentina não iniciou sua redução gradual, o Brasil poderá voltar a ter 100 itens na lista. Hoje, a lista de exceção do governo brasileiro tem 81 itens, com a decisão da Camex, também de hoje, de retirar da relação 11 códigos de produtos lácteos que passaram para a lista do Mercosul.

Tudo o que sabemos sobre:
CamexantidumpingtêxtilmetaisTEC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.