Camex: tarifa zero para o trigo vale até junho

A redução da Tarifa Externa Comum (TEC) de 10% para 0% para o trigo servirá para uma cota de um milhão de toneladas de grão e terá validade até 30 de junho de 2008, segundo informou o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, em nota.A queda no imposto de importação foi publicada no Diário Oficial da União de hoje. Os ministros da Câmara de Comércio Exterior (Camex) consideraram a proposta da Argentina, para voltar a exportar trigo, insuficiente para abastecer o mercado brasileiro. "Desta forma, os ministros que integram a Camex esperam aumentar as possibilidades de compras para os importadores brasileiros de trigo", diz a nota.Outros itens também tiveram a alíquota reduzida. Caiu 10% para 2% a TEC para óleo de palmiste (óleo de amêndoa de palma), com cota de 37 mil toneladas; de 12% para zero a chapa de aço laminada a quente e de 14% para zero a alíquota do imposto de importação do polidimetilsiloxano (silicone em forma primária). Foram excluídas da lista de exceção as bobinas de aço carbono laminadas a quente, bobinas e chapas finas de aços carbonolaminadas a frio e vergalhões.A tarifa de importação do sorbitol - usado em alimentos, produtos de limpeza e medicamento - caiu de 30% para 25%. A adiponitrila - usada na fabricação de um tipo mais residente de nylon - teve renovação na lista de exceção, com uma cota de 40 mil toneladas por ano, permanecendo o seu imposto em 2%.A lista de exceção à TEC tem 100 produtos que podem apresentar alíquota diferente da adotada pelos demais membros do Mercosul. A cada seis meses, o Brasil tem direito de revisar sua lista, podendo alterar, nesta ocasião, até 20 itens.

RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

06 de fevereiro de 2008 | 18h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.