coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Camex tenta proteger produtores de algodão

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) decidiu adotar algumas medidas internas para proteger os produtores nacionais de algodão contra os subsídios fornecidos aos produtores norte-americanos, previstos na nova lei agrícola chamada Farm Bill. Segundo o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sérgio Amaral, as importações de algodão entrarão no sistema de monitoramento prévio, ou seja, os empresários nacionais terão de pedir autorização ao governo para fazer a operação da compra. "Isso não quer dizer que não daremos autorização. Mas queremos monitorar o valor, a quantidade e a qualidade das importações de algodão", disse o ministro. Além disso a Camex está analisando medidas que possam ser adotadas como o aumento da Tarifa Externa Comum (TEC) para o algodão. Sérgio Amaral informou também que estão sendo analisados os fundamentos jurídicos e econômicos para um eventual questionamento à Organização Mundial do Comércio (OMC), contra os subsídios da Farm Bill ao algodão. "Estamos em vigilância. Não vamos permitir que a concorrência desleal venha prejudicar a produção brasileiras", ressaltou.

Agencia Estado,

07 de junho de 2002 | 13h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.