Caminhoneiros prometem greve em Minas, São Paulo e Paraná

Movimento que representa a categoria vai protestar contra várias medidas impostas pela ANTT

MARCELO PORTELA , BELO HORIZONTE, O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2012 | 03h04

Caminhoneiros que circulam por Minas Gerais prometem deixar hoje vazias as estradas do Estado. A paralisação também deve atingir Franca, no interior de São Paulo, e Curitiba, no Paraná.

Em Minas, segundo o Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC), a categoria promete adesão em massa à paralisação. Segundo o presidente regional do MUBC no Estado, José Acácio Carneiro, o protesto é contra as várias regulamentações impostas pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Entre as medidas criticadas, estão a que regulamenta a profissão, o cadastro de autônomos e outras mudanças que, segundo o MUBC, reduziram o valor do frete pago pelas empresas. Além disso, os caminhoneiros protestam contra a alta carga de impostos. "O governo considera que um caminhoneiro lucra 40% do que fatura. Mas 50% é só para pagar o diesel", disse Carneiro.

O MUBC não tem dados oficiais de quantos caminhoneiros há no Estado, mas, segundo José Carneiro, "é muito mais de 100 mil". Ele afirmou que parte dos trabalhadores planeja fazer carreatas e outros protestos em diversas regiões do Estado, mas ressaltou que a orientação é para não haver atos de vandalismo ou fechamento de rodovias.

"Não é para jogar pedras em quem quiser rodar. Porque essa manifestação, pela experiência que tenho, vai entrar para a história mais do que aquela de 1999", afirmou, referindo-se à greve da categoria que parou parte do transporte de carga terrestre no País e que chegou a ameaçar o abastecimento de gêneros alimentícios em algumas cidades.

A greve dos caminhoneiros também deve fechar três rodovias na região de Franca, no interior paulista. Pelo menos é o que pretende Jonas Elias Ferreira, que preside o Sindicato dos Caminhoneiros local. Foram definidos três pontos de atuação.

Um dos locais de concentração do movimento será no posto de combustíveis da região conhecida como Buritizinho, na rodovia Ronan Rocha - que liga os municípios de Franca e São José da Bela Vista. Na mesma rodovia, no trecho entre Franca e Patrocínio Paulista, também será montado um de bloqueio. O outro ponto de concentração será no Posto Paineirão, na rodovia Cândido Portinari, entre as cidades de Franca e Cristais Paulista.

Em Curitiba, os caminhoneiros do Paraná, ao menos na visão de entidades representativas, estão divididos quanto à paralisação no Estado. O apelo de parece não ter convencido toda a categoria. O presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos, Dilmar Buerno, disse que a paralisação é equivocada. "Não é uma convocação legítima, é uma ação equivocada que não foi discutida com a categoria."/ COLABORARAM RENE MOREIRA E JULIO CESAR LIMA, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.