Campanha do 'Estadão' ganha Leão de Ouro em Cannes

Campanha do 'Estadão' ganha Leão de Ouro em Cannes

‘Músicas de Violência’, criada pela FCB Brasil, informou usuários do aplicativo Shazam sobre músicas com conteúdos que fazem apologia ao abuso contra mulheres

Fernando Scheller, enviado especial, O Estado de S.Paulo

22 Junho 2016 | 15h58

CANNES - Uma campanha desenvolvida pela agência FCB Brasil para o Estadão venceu um Leão de Ouro na categoria Media Lions da edição 2016 do Cannes Lions – Festival Internacional de Criatividade. A peça publicitária Músicas de Violência usou o aplicativo de reconhecimento de músicas Shazam para evitar que usuários fizessem download de canções que podem incitar o abuso contra a mulher. O Estadão é o representante oficial de Cannes Lions no País.

Ao todo, mais de 1 milhão de pessoas já foram atingidas pela campanha, que detectou 350 músicas diferentes com conteúdos que têm conteúdos ligados à violência física, sexual e psicológica contra a mulher. Toda a vez que um usuário do Shazam buscava uma música com este tipo de mensagem, ele recebia um alerta sobre o tema.

Além de informar sobre o conteúdo inapropriado, o aplicativo ainda exibia depoimentos reais de vítimas de violência. Após ouvirem as mensagens, somente 6% dos usuários que tinham a intenção de baixar a música acabaram comprando o conteúdo. Os demais 94% eram direcionados a um link de doações para o Disque Denúncia, para que o dinheiro fosse usado em prol da mulheres, e não contra elas.  

A campanha, que começou a ser veiculada em maio, mas foi concebida anteriormente, ganhou ainda mais relevância após a divulgação do caso da adolescente que sofreu um estupro coletivo no Rio de Janeiro, segundo o presidente da FCB Brasil, Aurélio Lopes. “Acho que é um exemplo do uso correto da tecnologia no processo criativo. Neste caso, para um trabalho que combate a apologia à violência contra a mulher.”

Além de levar o Leão de ouro em Media Lions, a iniciativa Músicas de Violência também recebeu um bronze na subcategoria “Use of Data”, que analisa como as peças publicitárias incorporam dados e estatísticas ao conteúdo. O mesmo trabalho ganhou ainda duas pratas e um bronze em outra categoria do festival, a Mobile Lions, que premia as melhores peças desenvolvidas para dispositivos móveis.

Para o diretor executivo comercial do Grupo Estado, Flávio Pestana, os prêmios em Cannes mostram que, além de ser conhecido por seu jornalismo de qualidade, o Estadão também se mostra uma "plataforma relevante também para a distribuição de outros conteúdos, tenham eles fins comerciais ou sociais, para seus milhões de leitores".

Parceria. Músicas de Violência foi, na realidade, a segunda campanha desenvolvida pela FCB para o Estadão que abordou a questão da violência contra a mulher. Uma iniciativa desenvolvida para o Dia Internacional da Mulher deste ano chegou a ser finalista para um Leão na categoria Glass Lions, criada pelo festival para discutir a questão do gênero.

No dia 8 de março, o jornal usou o Twitter para divulgar, a cada sete minutos, informações e estatísticas sobre a violência contra a mulher no País. A escolha de fazer os tuítes a cada sete minutos é uma referência à periodicidade dos relatos de casos de abuso contra a mulher em território brasileiro. A campanha chegou a figurar entre os tópicos mais comentados do dia na rede social.

Bronze para Café Pelé. Uma campanha da Lew’Lara\TBWA para o Café Pelé, da Cia. Cacique de Café Solúvel, usou o Estadão como sua principal plataforma de mídia e levou um bronze em Media Lions. A peça publicitária usou a capa do jornal do dia 8 de abril para embalar 2,5 toneladas de café, que ficaram disponíveis no ponto de venda na mesma manhã em que a edição foi entregue às bancas e assinantes.

A campanha, que também foi veiculada em diferentes plataformas do jornal, foi a vencedora da segunda edição do Prêmio Desafio Estadão Cannes, na categoria Indústria.

 

 

Mais conteúdo sobre:
PublicidadeEstadão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.