Campanha reforça 'jornal multiplataforma'

Peças publicitárias serão veiculadas nos principais jornais do Brasil; campanha será estendida aos sites das maiores publicações do País

O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2015 | 02h04

Uma campanha publicitária que começará a ser veiculada amanhã em todo o Brasil vai reforçar a posição de que o jornal não é apenas um veículo de comunicação impresso. Com os sites e as versões para tablets e smartphones, os jornais conquistaram uma audiência muito maior. A campanha vai reforçar que nunca se leu tanto jornal no País.

Criadas pelo publicitário Nizan Guanaes, da agência Africa, para a Associação Nacional de Jornais (ANJ), as peças publicitárias serão veiculadas nos principais jornais do País. Posteriormente, a campanha será estendida aos sites das maiores publicações brasileiras.

A campanha, segundo o diretor executivo da ANJ, Ricardo Pedreira, terá três fases. Os primeiros anúncios vão ressaltar a grande audiência dos veículos, usando métricas importantes sobre o acesso às publicações em sites e também em dispositivos móveis. "Nos últimos dois anos, houve um aumento de 400% na leitura dos jornais em plataformas móveis", destaca Pedreira.

Em um segundo momento, a campanha vai enfatizar justamente o fato de que os hábitos do brasileiro em relação aos jornais estão em transformação. Hoje, lembra o diretor da ANJ, os leitores se revezam entre a leitura física e digital, buscando não o formato, mas a credibilidade do veículo escolhido.

É por isso que o slogan da campanha será "Antes eu lia jornal todo dia, agora leio o dia todo". Os jornais, segundo pesquisa do Ibope, são considerados a fonte mais confiável de informação por 58% dos brasileiros, maior índice entre as mídias incluídas no levantamento.

Por fim, uma série de personalidades importantes para a economia e a cultura brasileira serão escolhidas para reforçar a importância da informação de qualidade veiculada pelos jornais. A ideia é mostrar que todo o formador de opinião ou empresário de sucesso não chegou à posição atual sem estar bem informado pela leitura de um jornal de qualidade.

Mudanças. O diretor da ANJ afirma que a campanha está inserida em um contexto de reposicionamento dos jornais definido no 10º Congresso Brasileiro de Jornais, em 2014. Na ocasião, os veículos decidiram criar ferramentas para valorizar a audiência qualificada que atraem.

Uma medida já implantada foi a criação do Digital Premium Jornais, plataforma que oferece semanalmente a oportunidade para que um único anunciante tenha visibilidade em sites de 65 jornais brasileiros. Entre as companhias que já anunciaram na plataforma, estão a indústria de alimentos BRF (dona das marcas Sadia e Perdigão) e a administradora de benefícios Qualicorp.

Outra forma de facilitar a vida da empresa que pretende anunciar em jornais impressos é a criação de uma ferramenta para os profissionais de mídia das agências de publicidade programarem anúncios em várias publicações ao mesmo tempo. Hoje, as agências precisam se comunicar com cada empresa na hora de definir uma estratégia baseada em jornais.

Métrica. Em outro movimento, a associação está tentando criar uma métrica para medir a audiência dos jornais, e não apenas sua circulação. Para isso, está combinando a inteligência do instituto Ipsos, que já verifica a circulação impressa, com a da comScore, especializada em meios digitais. "Estamos em estágios avançados da construção dessa métrica unificada de audiência", explica Pedreira.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Mídia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.