coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Campanhas exploram inusitado para atrair atenção do consumidor

Não foi dessa vez que a emoção, como muitos publicitários esperavam, invadiu as campanhas impressas que concorrem aos leões do 49º Festival Internacional de Publicidade de Cannes. A categoria Press & Poster também mudou de nome, agora é Press & Outdoor. A mudança tem a ver com mais um Grand Prix a ser oferecido na categoria de impressos, o de outdoor, patrocinado pela J.C.Decaux, uma das gigantes mundiais de mobiliário urbano. Nas peças selecionadas pelo júri para disputar os leões de ouro, prata e bronze, além dos dois Grand Prix, é inusitado o que salta aos olhos. Expostas no sagão do Grand Palais des Festivals de Cannes, todas têm em comum imagens fortes, sugestivas, algumas usando textos longos para passar, no fim, uma mensagem simples, clara e objetiva. É o caso de campanha criada pela Giovanni/FCB para Izzo Motors, em que o texto do tratado da Independência dos Estados Unidos aparece na íntegra, com a assinatura final "Em outras palavras" seguida do logotipo da Harley-Davidson. Uma moto que, para a agência, tem tudo a ver com independência. Uma peça brasileira que foi pré-selecionada pelo júri é a campanha da Cápsula/TBWA para as canetas Bic. Numa cela de prisão, toda riscada, há uma caneta Bic ainda com meia carga, apesar da parede toda estar escrita. A Almap/BBDO também emplacou peças publicitárias no short list da categoria, algumas delas criadas para o Audi. É o caso de uma em que a lombada do livro Guerra e Paz do russo Leon Tolstoi serve de medida para o visor de óleo e combustível do carro, tão sofisticado quanto a literatura que lhe serve de imagem. No campo dos produtos nada de muito novo, a idéia de mostrar aquilo que se quer vender prevalece. Afinal, o alvo das campanhas é o consumidor, de preferência aquele que transforme uma publicidade premiada em vendas. Há para todos os gostos, mas sempre buscando formas inusitadas de atrair, despertar a atenção dos consumidores, seduzindo seus bolsos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.