Campeão em vendas, o Corsa sai de cena

O Corsa sai de cena por causa dos números discretos de vendas, o que não condiz com seu histórico de sucesso no Brasil. O modelo, que teve a última unidade produzida na quarta-feira, foi mais vendido da GM no País em seus 18 anos de existência. Ao todo, foram mais de 2 milhões de unidades. O Chevette vendeu 1,6 milhão de unidades, o Opala cerca de 1 milhão e o Monza, 850 mil, segundo empresa.

O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2012 | 03h07

Foi lançado em 1994 com motor 1.0 de 50 cv com injeção eletrônica, enquanto os rivais ainda usavam carburador. Era moderno e as linhas arredondadas destoavam do estilo caixote de Fiat Uno e VW Gol 1000. Na primeira geração, teve carrocerias de quatro portas, sedã, perua e picape. Seu currículo, porém, traz a mancha de ter sido o modelo de maior recall no País até hoje. Em 2000, falhas na fixação do cinto de segurança fizeram com que mais de 1,3 milhão de unidades produzidas de 1994 a 1999 fossem chamadas para reparos.

A segunda geração, de 2002, era oriunda, como a primeira, da Opel, divisão alemã da GM. Tinha opções hatch e sedã e motores 1.0 e 1.8. A picape Montana chegou no ano seguinte. Apesar das qualidades, a linha não repetiu o sucesso da anterior.

Da linha antiga, um representante não tem data para se aposentar: o Classic, sedã da primeira geração do Corsa, terá air bag na linha 2013 para se enquadrar à nova legislação, que exige a bolsa inflável e freio ABS em 100% dos automóveis a partir de 2014. / LUÍS FELIPE FIGUEIREDO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.