Campeões de gasto na Argentina

CORRESPONDENTE / BUENOS AIRES

Ariel Palacios, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2011 | 00h00

"Feriado no Brasil, alegria portenha" é a equação cada vez mais pronunciada no comércio portenho. Motivos para a afirmação existem de sobra, já que os dias de folga no Brasil resultam em maior fluxo turístico de brasileiros para Buenos Aires e, consequentemente, mais lucros. A alegria dos comerciantes locais aumenta mais ainda quando percebem que os brasileiros, embora fiquem metade dos dias em média de europeus e americanos, gastam o dobro do que gastam os visitantes do hemisfério norte.

Segundo o Instituto Nacional de Promoção Turística (Inprotur), os turistas brasileiros são os que mais gastam na Argentina. No total, em 2010, desembolsaram mais de US$ 550 milhões em lojas, restaurantes, hotéis, museus e shows de tango na capital argentina. Isso equivale a 32% do gasto total dos estrangeiros em Buenos Aires no ano passado. Em comparação com 2009, o gasto dos brasileiros em Buenos Aires foi 120% superior em 2010.

Os cariocas Luiz Alberto Benevides e Julia Morena estarão até a próxima segunda-feira em plena viagem de estreia a terras estrangeiras. Luiz, publicitário, e Julia, designer gráfica, decidiram que sua primeira viagem ao exterior seria para Buenos Aires por dois motivos.

"Por um lado, pelo charme da capital argentina, que há vários anos queríamos conhecer", afirma Luiz, publicitário de 35 anos. "E, além disso, pelo custo da viagem, já que para nós, que moramos no Rio, acaba saindo mais barato passar 10 dias em Buenos Aires do que em São Paulo", diz Julia, designer gráfica, de 28.

Enquanto Luiz e Julia concentravam-se em atividades culturais, Maria Beatriz Tavares, dona de casa de Belo Horizonte, caminhava pela avenida Santa Fe de olho nos preços nas vitrinas das lojas.

"A-do-rei!", pronunciou enfática, separando as sílabas, quando perguntada pelo Estado sobre o que tinha achado de Buenos Aires como um destino para compras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.