Campo gera menos empregos que regiões metropolitanas em outubro

Áreas urbanas geraram 73.350 postos com carteira assinada, já descontadas as demissões, contra 18.452 vagas no interior dos Estados

Célia Froufe, da Agência Estado,

18 de novembro de 2011 | 13h59

O comportamento sazonal da agricultura levou o interior dos Estados brasileiros a criar menos postos de trabalho em outubro do que as regiões metropolitanas, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado hoje pelo Ministério do Trabalho. No conjunto de nove áreas urbanas avaliadas pela Pasta, houve uma geração de 73.350 postos com carteira assinada, já descontadas as demissões do período. Enquanto isso, no interior, o saldo foi de apenas 18.452 vagas.

A área metropolitana que mais se destacou foi a de São Paulo, responsável pela geração de 30.634 postos no mês passado. Em todo o Estado, no entanto, o saldo foi menor, de apenas 22.879 vagas. Na cidade do Rio de Janeiro e arredores, a expansão do mercado de trabalho em outubro foi de 8.965 postos, enquanto, no interior, houve geração de 4.294 vagas.

A região metropolitana de Recife contratou 8.400 trabalhadores a mais do que demitiu no mês passado - o que foi o terceiro melhor desempenho para o mês. Já a zona urbana de Belo Horizonte contribuiu com a criação de 7.866 postos e a de Porto Alegre, com 6.097 postos. Em relação ao interior, o Ministério do Trabalho destacou o resultado verificado no Rio Grande do Sul (10.425 postos) e o do Paraná (7.044 postos).

 
Tudo o que sabemos sobre:
Cagedemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.