Canadá abre investigação sobre importações de aço

O governo do Canadá está lançando uma investigação sobre as importações de certos produtos de aço de todos os países para a adoção de possíveis salvaguardas. Em comunicado, o governo disse que apontou o Tribunal Canadense de Comércio Internacional (CITT) para investigar se o aumento das importações de certos produtos de aço está representando, ou ameaça representar, danos para as siderúrgicas canadenses. O governo afirmou também que salvaguardas são medidas emergenciais, permitidas pela Organização Mundial do Comércio (OMC) e direcionadas para proteger uma indústria doméstica de sérios prejuízos ou ameaças de perdas provocadas por um aumento de importações. O governo do Canadá declarou estar preocupado com o possível desvio de aço estrangeiro para o mercado canadense depois da decisão dos EUA de elevar as sobretaxas em até 30% para importações de aço. Para as autoridades canadenses, as tarifas do EUA vão restringir o acesso para importações de aço para os EUA e aumentar o risco de que grandes quantidades de aço sejam transferidas para o Canadá. "O Canadá tem um dos mercados de aço mais abertos do mundo e este governo não ficará passivamente olhando e permitindo que o nosso mercado (seja invadido) por uma enxurrada aço desviado", afirmou o secretário de Estado do Canadá, John McCallum.Para McCallum, a investigação é um passo inicial necessário para determinar se outras atitudes são justificáveis. O ministro de Comércio Internacional do Canadá, Pierre Pettigrew, disse que se o CITT determinar que as importações de aço estão prejudicando as siderúrgicas canadenses, o governo estará preparado para "tomar as ações necessárias para consertar a situação, conforme permitido pelas regras do OMC". O governo disse que o CITT deve divulgar suas conclusões em 105 dias. Se o CITT concluir que há prejuízos, o órgão terá outros 45 dias para sugerir medidas adequadas. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.