Canadá pretende duplicar comércio com Brasil em cinco anos

Chefe de Estado do Canadá, Michaelle Jean, faz visita de 7 dias ao Brasil

Alan Clendenning, Associated Press

11 de julho de 2007 | 09h31

Até 2012 o Canadá espera duplicar o comércio com o Brasil a partir do fortalecimento das relações em setores como agricultura, mineração, transporte aéreo e biocombustíveis, declarou a chefe de Estado do Canadá, Michaelle Jean."Estamos convencidos da vitalidade das relações comerciais entre nossos dois países e vamos continuar construindo este potencial nos próximos anos", assinalou Michaelle a empresários brasileiros e canadenses em São Paulo. O comércio entre as duas nações chegou a 3,5 bilhões de dólares no ano passado, informou o governo brasileiro. A chefe de Estado canadense visita durante sete dias o maior país da América Latina e a programação prevê a reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na quarta-feira, 11. O Brasil é o terceiro mercado mais importante para o Canadá na América e foi qualificado por Michaelle como "o sócio comercial mais importante (do Canadá) na América do Sul".O Brasil também expande seus negócios com o Canadá. No ano passado, a mineradora brasileira Vale do Rio Doce comprou a mineira canadense de níquel Inco Ltda. Por 17 bilhões de dólares e passou a ser a segunda maior empresa do setor no mundo, atrás da anglo-australiana BHP Billiton Ltda. Entre 2002 e 2006, as exportações brasileiras para o Canadá aumentaram 190% enquanto as exportações canadenses ao Brasil subiram 61%, informou o governo do Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
comércioCanadá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.