Sergio Castro/ESTADÃO
Sergio Castro/ESTADÃO

Canais do YouTube viram alvo de aquisição

Após a gigante Viacom adquirir o controle do Porta dos Fundos, a rede brasileira Snack compra a rival Amazing Pixel

Fernando Scheller, O Estado de S. Paulo

16 de julho de 2018 | 05h00

Ainda associados à produção do tipo “faça você mesmo”, aos poucos os canais exclusivos para YouTube no Brasil começam a formar um mercado organizado – e a gerar os primeiros movimentos de fusão e aquisição. Depois de a gigante americana Viacom adquirir, no ano passado, o controle do canal de comédia Porta dos Fundos, agora será a vez de duas forças nacionais se unirem. A rede Snack – que foi criada há cinco anos – acabou de comprar a rival Amazing Pixel, que tem quatro anos de estrada, por R$ 12 milhões.

+ Porta dos fundos agora alça voos internacionais

Por trás desse tipo de acordo está a tentativa de consolidação de um pacote de conteúdo que seja atraente para as marcas. Segundo Vitor Knijnik, sócio da Snack, existe a necessidade de oferecer aos anunciantes um cardápio de assuntos que facilite a comunicação de mensagens publicitárias de diferentes segmentos. “Estamos nos tornando cada vez mais parecidos com uma empresa de mídia, só que voltada somente ao YouTube”, disse.

Com a aquisição da Amazing Pixel, a Snack passará a controlar um total de 71 canais, que se espalham por assuntos como fofocas, viagens, games, culinária, beleza e cuidados pessoais. Em alguns casos, há vários canais dentro de um mesmo segmento, sendo que um ajuda a criar público para o outro. Esses conteúdos – que se dividem entre programações produzidas e desenvolvidas internamente e canais independentes afiliados à rede – contabilizam hoje 62 milhões de inscritos e 210 milhões de visualizações por mês.

A partir do portfólio e da relação próxima com a equipe de cada canal, fica mais fácil para as marcas criarem mensagens que possam ser “casadas” com o conteúdo de forma mais orgânica, para melhorar o resultado das campanhas. É o que já faz o Porta dos Fundos, conforme explicou ao Estado a presidente do canal, Tereza Gonzalez, em abril. No canal de comédia, todos os briefings para vídeos são tratados da mesma maneira e passam pelo mesmo processo de criação.

Com o aporte financeiro da Viacom – que, segundo fontes de mercado, chegou a R$ 50 milhões – o Porta dos Fundos também está preparando voos mais altos, como a adaptação de parte de seus esquetes para outros idiomas, a começar pelo espanhol.

Ao colocar os canais da Amazing Pixel para dentro de casa, a Snack vai dobrar seu faturamento neste primeiro momento e diz que poderá acelerar seu crescimento nos próximos anos. Os sócios – Knijnik e Nelson Botega – não falam sobre a possibilidade de atrair um sócio externo, pelo menos por enquanto.

Estúdios. Do ponto de vista de produção, a estrutura da Amazing Pixel será incorporada pela Snack, que hoje mantém três estúdios em São Paulo. Botega diz que não faz sentido, para uma empresa que se dedica a vídeos rápidos no site de vídeos do Google, tentar formar uma grande estrutura de produção, comparável às redes de televisão.

Por isso, a expansão da capacidade de produção da Snack vai se dar em pequenos polos preparados para gravação de vídeo inicialmente restritos à cidade de São Paulo. “Não queremos que o youtuber venha até a gente. A gente quer estar presente onde seja mais conveniente para ele.”

Em relação aos temas que pretendem agregar, os sócios dizem que já aprenderam que não é possível “reinventar a roda” das temáticas que dão resultado no YouTube. “É preciso respeitar a linguagem. E entre esses estão vlog (blogs em vídeo), games, esquetes de humor e unboxing (pessoas que desempacotam produtos)”, diz Botega.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.