Canal de celebridades vira dono de premiação

E!, conhecido pela cobertura do tapete vermelho e de moda, vira o dono do People’s Choice Awards

The New York Times

10 de abril de 2017 | 05h00

O canal de televisão E!, disponível na TV por assinatura brasileira, ganhou fama e espectadores com uma proposta muito simples: cobrir o tapete vermelho das mais diversas premiações – de música, TV e cinema, principalmente – com um esquema muito simples: rápidas conversas com celebridades sobre assuntos triviais seguidas de uma análise instantânea do estilo da roupa do famoso ou da famosa: bem vestido ou mal vestido. 

Depois de tanto tempo cobrindo o mundo das premiações, o E! decidiu ter uma atração para chamar de sua: virou o dono do People’s Choice Awards, que ocorre todos os anos e escolhe, por voto popular, os melhores do ano no mundo das artes.

A emissora não comentou o valor do negócio, mas a estimativa é que tenha sido pago entre US$ 8 milhões e US$ 10 milhões à antiga proprietária, a empresa de bens de consumo Procter & Gamble. 

Embora sejam raros os casos de canais de TV com as próprias premiações – sendo a MTV uma exceção à regra –, o E! é mais conhecido por realities shows como Keeping Up With the Kardashians e vinha considerando um investimento maior em eventos há algum tempo. “A ideia de criar algo novo, em um momento em que existem tantas premiações, se mostrava muito desafiadora”, disse Adam Stotsky, presidente do E!

A estratégia é também uma resposta ao movimento dos espectadores em um momento em que a audiência da TV a cabo está em queda nos EUA, onde o total de assinantes desse tipo de serviço não para de cair. 

Dentro desse cenário difícil, as empresas estão tentando migrar para outras áreas. A MTV, por exemplo, está transformando sua premiação de filmes para incluir também a escolha dos melhores na televisão. A novidade será introduzida neste ano.

As atrações ao vivo ainda são um dos segmentos que continuam a garantir uma audiência maior. Executivos do E! afirmaram que há várias formas de ampliar o alcance do People’s Choice Awards, incluindo ações em mídias sociais e a integração de anunciantes ao evento. “Vivemos em uma nova realidade, em que o valor dos eventos está cada vez maior”, disse Bonnie Hammer, presidente do conselho da área de TV a cabo da gigante NBC Universal.

Desafio. Entretanto, as premiações têm mostrado sinal de fadiga. A audiência desses eventos está em queda – o Oscar teve seu segundo pior desempenho em 2017, enquanto o Emmy do ano passado teve os mais baixos números da história. A queda do interesse da audiência – que afeta até os jogos da liga de futebol americano, a NFL – sugere que até mesmo a TV ao vivo possa estar ameaçada pelos serviços de streaming.

No entanto, nem tudo parece estar perdido. Eventos que conseguiram criar uma aura mais moderna – como o Globo de Ouro e o Grammy – tiveram crescimento em suas últimas edições. O People’s Choice conseguiu surfar nessa onda positiva. A audiência do evento subiu 11% entre 2016 e 2017.

Mais conteúdo sobre:
Grammy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.