Cancelada a venda de ações da Santista

As operações de compra e venda de ações ordinárias da Santista Alimentos, realizadas no último dia 2 na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), foram suspensas por liminar concedida pela Justiça paulista. A ação foi movida pelo escritório Albino Advogados Associações, a pedido de um investidor que se sentiu lesado ao negociar ações da Santista nessa data.O investidor vendeu um lote grande de papel um dia antes de que o Grupo Bunge, controlador da Santista, anunciasse que estuda a incorporação pela Ceval, outra empresa do mesmo grupo. A decisão judicial refere-se somente às operações realizadas por esse investidor.O advogado Francisco da Costa e Silva, que trabalha em parceira com o escritório Albino Associados, explicou que o papel foi vendido a R$ 0,37. O volume negociado nesse dia foi de 3 milhões de ações, praticamente igual ao movimento apurado em um mês inteiro com os papéis da Santista. Quando o anúncio da operação foi oficializado pelo Grupo Bunge, no dia seguinte, as ações da empresa subiram para R$ 0,54.O grupo anunciou que a incorporação da Santista Alimentos daria aos acionistas o direito de receber um reembolso pelo valor patrimonial das ações, que era superior à cotação no mercado. Segundo o último resultado divulgado pela companhia, o valor patrimonial das ações da Santista estava em R$ 0,66 em março deste ano. Esse valor deve ser alterado conforme os resultados apurados nos meses seguintes. Nos primeiros três meses de 2000, a empresa teve prejuízo de R$ 10,232 milhões.Investidor diz que houve informação privilegiada na operaçãoPara a operação, a companhia deve usar o valor patrimonial com base no balanço apurado em 30 de agosto, que ainda não foi divulgado. O investidor que obteve a liminar da Justiça alega que houve informação privilegiada na operação. Ou seja, o comprador já tinha conhecimento da incorporação que estava sendo estudada pelo Grupo Bunge.A liminar foi concedida pelo juiz Adevanir Carlos Moreira da Silveira, que avaliou ter indícios de irregularidade nas operações de compra e venda com os papéis da empresa. A Bovespa confirmou àAgência Estado que essas operações foram canceladas. A assessoria de imprensa da Santista Alimentos informou que a companhia irá verificar internamente se ocorreu alguma forma de vazamento sobre os estudos para a incorporação da empresa pela Ceval.Segundo a assessoria, o fato relevante sobre a operação foi publicado para evitar o uso de informações privilegiadas, já que havia um grande número de pessoas envolvidas no estudo. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) também está apurando o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.