Cantidiano rebate acusações, em sua despedida da CVM

Em um discurso emocionado, o ex-presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Luiz Leonardo Cantidiano, rebateu hoje as acusações que rondaram seu mandato. "Algumas pessoas, felizmente poucas, criaram escândalos inexistentes e atacaram a honra de pessoas idôneas. Inventaram histórias e distorceram fatos, atacando covardemente aqueles que são dedicados a trabalhar em prol do nosso País". Foi com este tom que Cantidiano terminou seu discurso durante a posse de Marcelo Trindade na presidência do órgão. Ele considerou lamentável que existam "figuras que não se preocupem em ter na consciência acusações a pessoas de honra, que apenas estão preocupadas em desenvolver seu trabalho" e admitiu que essas pressões contribuíram para sua saída da CVM. Entretanto, Cantidiano deixou claro que as pessoas por trás das pressões vão continuar buscando novas vítimas.O ex-presidente da CVM recebeu apoio do ministro da Fazenda, Antônio Palocci, que participou da cerimônia. O recado foi simples: o ministro sugeriu que Cantidiano não carregue "muitas mágoas no coração" e lembrou que na vida pública, "enfrentamos grandes problemas e o mais importante é carregarmos de cabeça erguida". Como conselho, Palocci recomendou a leitura do poeta Fernando Pessoa: "aproveite o tempo para dialogar com seus amigos, com sua família e ler umas páginas de Fernando Pessoa, para saber que tudo vale à pena".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.