Capacidade de refino da Petrobrás está perto do limite

A utilização da capacidade de refino brasileira está chegando perto do limite e, segundo especialistas, o governo deveria retomar o debate sobre a construção de uma nova refinaria no País. Em seu balanço do terceiro trimestre, a Petrobrás informou que está usando 86% de sua capacidade nominal de refino, volume 31% acima do registrado há dois anos, e a apenas 4 pontos porcentuais abaixo do limite de 90% considerado ideal pelo mercado. No trimestre, a Petrobrás produziu 1,659 milhão de barris de derivados por dia em suas refinarias, que têm uma capacidade nominal de quase 1,95 milhão de barris por dia. Considerando o limite ideal de 90%, a capacidade brasileira de refino é de 1,755 milhão de barris por dia, ou apenas 100 mil barris acima da atual produção diária de combustíveis. "Dependendo das condições, as refinarias podem trabalhar até com 100% de capacidade, mas não por muito tempo", explica o consultor em refino Luiz Guerra, da ERG Consultoria. Para Carlos Eduardo Domingues, da Downstream Consultoria, a Petrobrás trabalha com uma estimativa conservadora de aumento do consumo, de 2,4% até 2010. "Se houver uma bolha, podemos ter problemas já em 2006", avalia. Em 2010, segundo a empresa, o Brasil estará consumindo 2,023 milhão de barris por dia e as refinarias nacionais irão processar 1,87 milhão de barris por dia. O restante será abastecido por produtos importados. No entanto, o consumo de combustíveis em 2004 cresceu 7%, bem acima do registrado em 2003 quando a retração na demanda provocou a revisão de estimativas sobre a necessidade de uma nova refinaria no País. O diretor de Abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, disse que no início do ano a empresa fará uma revisão de rotina no planejamento estratégico, já com novos dados sobre o consumo. "Nossa preocupação com o refino é permanente e, se tivermos alguma surpresa com a demanda, podemos antecipar o investimento na refinaria", afirmou. O planejamento estratégico da Petrobrás prevê o início da construção de uma nova unidade em 2007, para entrar em operação depois de 2010. Além disso, a empresa está fazendo uma série de investimentos nas refinarias existentes que devem ampliar em 220 mil barris por dia a capacidade nacional de refino até aquele ano. Em 2002, um estudo da ANP concluiu que o Brasil precisaria de uma capacidade adicional de até 600 mil barris por dia em 2010 para reduzir a dependência de importações a um nível seguro. Há hoje alguns projetos privados de refinarias no Brasil, em Pernambuco, Espírito Santo e no Rio de Janeiro. Nenhum analista acredita, porém, que os empreendimentos possam deslanchar sem participação da Petrobrás.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.