Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Capital do zebu, Uberaba lidera produção de cana

Pela primeira vez na história um município mineiro assumiu a liderança na produção de cana-de-açúcar no País. De acordo com a pesquisa da Produção Agrícola Municipal (PAM) 2014, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Uberaba (MG) ultrapassou Morro Agudo (SP) e, com 6,9 milhões de toneladas, é o primeiro município do País em produção .

Rene Moreira, ESPECIAL PARA O ESTADO/UBERABA, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2015 | 02h05

Em Morro Agudo, que vive basicamente da cana, a produção foi de 6,8 milhões de toneladas. Em Uberaba, considerada a capital do gado zebu, hoje a cultura canavieira já é responsável por 40% do valor de toda a produção agrícola do município e para a safra atual a estimativa é de crescimento. A área plantada este ano subiu de 81 mil para 85 mil hectares.

A região tem solo e clima considerados favoráveis às lavouras de cana-de-açúcar, assim como o resto do Estado. Isso ajuda a explicar o fato de Minas Gerais liderar em produtividade nos canaviais. No ano passado São Paulo produziu, em média, 72,1 toneladas de cana por hectare (t/ha), enquanto que Minas chegou a 76,2 t/ha.

Em Uberaba estão instaladas duas agroindústrias sucroenergéticas: a Usina Uberaba e a Usina Vale do Tijuco. A região adota um modelo de produção que prioriza o desenvolvimento com a valorização dos produtores rurais. Da quantidade de cana moída, cerca de 42% vêm de fornecedores independentes, 48% são de parcerias agrícolas e 10% de áreas próprias das usinas.

Segundo o Sindicato dos Produtores Rurais de Uberaba, nos últimos dez anos o avanço da cana fez cair em torno de 30% a área destinada à criação de gado. "Mas com a recente crise no setor sucroenergético, esta expansão já se reduziu bastante", explica o presidente da entidade, Romeu Borges de Araújo Júnior.

De acordo com ele, ainda assim esse crescimento do setor canavieiro contribuiu para a queda de 25% do rebanho na região. Hoje são em torno de 200 mil animais, com predominância do gado zebu.

"Agora a pecuária já registrou uma melhora, principalmente, com a alta do preço da carne", conta Araújo. Ele diz que a produção de grãos do município também ajudou a frear a investida da cana. "Já estamos em um momento um pouco mais estabilizado."

Mudança. Estudo desenvolvido na Universidade de São Paulo ( USP) indica que a chegada da cana-de-açúcar e dos grupos agroindustriais a Uberaba diversificou as culturas e aumentou a produtividade das propriedades rurais. Em oito anos, o setor gerou na região mais de 2 mil postos de trabalho.

No município existem hoje entre 3.800 e 4 mil produtores rurais. Desses, em torno de 500 cultivam a cana. Luis Carlos Rodrigues aumentou em 700 hectares a área plantada, pois para ele o futuro é favorável ao setor. "O mercado reagiu e isso vai refletir no preço", prevê. Nessa safra ele já conta com 3 mil hectares de plantação e expectativa de colher 160 mil toneladas.

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.