FRANCOIS LENOIR | REUTERS
FRANCOIS LENOIR | REUTERS

Captação da AB InBev para comprar rival tem demanda recorde

Empresa vai emitir US$ 46 bilhões em bônus, mas mercado está disposto a comprar até US$ 110 bilhões

O Estado de S.Paulo

14 de janeiro de 2016 | 09h40

O maior grupo de cervejarias do mundo, a AB InBev, lançou na quarta-feira uma captação com bônus de US$ 46 bilhões, a segunda maior operação do gênero da história, com demanda recorde de US$ 110 bilhões. O objetivo da companhia é usar o dinheiro captado com investidores de mercado para ajudar a financiar a recém-anunciada compra da companhia rival SABMiller. A aquisição foi anunciada em novembro e o negócio está avaliado em US$ 108 bilhões.

A emissão da AB InBev, que é dona da cervejaria brasileira Ambev, ficará um pouco abaixo da emissão de US$ 49 bilhões feita pela americana Verizon em 2013, mas vai superar a marca de US$ 40 bilhões inicialmente prevista por analistas.

Se o número final da operação não mudar, a AB InBev poderá dizer que a operação teve a maior demanda já registrada para uma operação do tipo (a operação da Verizon atraiu um total de US$ 102 bilhões). A oferta está sendo coordenada globalmente por Bank of America Merrill Lynch, Barclays e Deutsche Bank, mas outras instituições, como Mitsubishi UFJ, Santander e Société Générale, também participam.

A sensação entre os analistas de mercado é de que a operação vai ajudar a melhorar o humor do mercado neste início de ano, marcado por preocupações com a desaceleração da China e a derrocada dos preços das commodities. O prazo dos papéis oferecidos pela InBev a investidores varia de 5 a 30 anos.

Juros. A forte demanda permitiu aos bancos coordenadores da emissão da AB InBev reduzir a rentabilidade oferecida aos investidores, o que muitos viram como um resultado sólido. “Há estresse nos mercados de crédito, mas há dinheiro para a transação certa, e a InBev é um bom exemplo disso”, disse Neil Sutherland, gestor de carteiras na Schroders. “A empresa restringiu o preço até de forma bem agressiva, mas mesmo assim conseguiu demanda de mais de US$ 100 bilhões.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.