Captações privadas batem recorde de R$ 166,9 bi em 2007

Do total de ofertas registradas no ano passado, cerca de 40% são decorrentes de lançamentos de ações

Mônica Ciarelli, da Agência Estado,

03 de janeiro de 2008 | 16h57

As captações privadas atingiram em 2007 o patamar histórico de R$ 166,9 bilhões, superando em 33,6% o recorde apurado no ano anterior. Do total de ofertas registradas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no período, cerca de 40% são decorrentes de lançamentos de ações. Diante do "boom" do mercado de capitais nos últimos anos, muitas companhias decidiram buscar na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) financiamento para seus projetos de expansão. Para se ter idéia, as emissões de ações aumentaram 149%, passando de R$ 26,9 bilhões em 2006 para R$ 67 bilhões no ano passado. Metade desse valor se refere a ofertas iniciais de ações, operações conhecidas no mercado como IPOs. Entre as estreantes, o destaque ficou com as ações da Bovespa Holding. A oferta de papéis da Bolsa paulista movimentou R$ 6,6 bilhões, o maior volume financeiro já alcançado em uma abertura de capital. Mas analistas acreditam que 2008 não deve repetir o mesmo desempenho apurado este ano. Segundo eles, as incertezas geradas pela crise de crédito imobiliário nos Estados Unidos e menor liquidez no mercado internacional devem deixar os investidores menos ávidos a compra de ações em países emergentes. Com isso, algumas empresas podem adiar os planos de emissões. Em dezembro, quatro empresas - Vix Logística, Campos Verdes, Brazilian Finance & Real Estate e Aliansce Shopping Centers - solicitaram a CVM interromper a análise de seus pedidos de ofertas.

Tudo o que sabemos sobre:
CVMCaptações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.