Características que dificultam a venda do veículo

Na hora de comprar um automóvel, o consumidor deve ficar atento às características que possam prejudicar a sua revenda. São os chamados "micos", aqueles veículos que demoram para ser vendidos, pois têm características que afugentam os compradores, como cores berrantes, acessórios que não são originais de fábrica, pequena rede de assistência técnica, entre outros. Os especialistas do setor recomendam ao consumidor ser o mais conservador possível na hora de comprar um carro, ou seja, optar pelos modelos mais comercializados.O gerente de cotação da Molicar, empresa especializada em cotação de veículos no mercado brasileiro, Vitor Meizikas Filho, avalia que o consumidor que não pretende ter prejuízo financeiro na revenda do automóvel precisa realizar uma compra conservadora. "O ideal é fazer uma pesquisa no mercado e ver quais os carros mais comercializados e suas características", alerta. A cor é um dos primeiros requisitos que o consumidor deve ficar atento na hora de escolher um veículo. Cores berrantes, como verde-kiwi, roxo-batata, amarelo metálico, dourado, servem para destacar alguns modelos de determinadas marcas de veículos, mas oferecem problemas, segundo Pérsio Calil, gerente da loja Iguatemi Veículos e presidente do Conselho Regional da Associação Brasileira dos Distribuidores Volkswagen (Assobrav).Pérsio destaca que as montadoras costumam lançar veículos com cores diferentes e alegres para destacar o modelo nas ruas. "É uma estratégia de marketing dos fabricantes para chamar atenção do consumidor. Porém, carros com cores extravagantes transformam-se em verdadeiros micos na hora de vender", explica o presidente do Conselho Regional da Assobrav. As cores mais aceitas no mercado são o prata, o cinza, o preto e o azul-marinho.Acessórios originaisO gerente de marketing da Ford, Natan Vieira, alerta que carros com acessórios fora dos padrões originais perdem valor e o consumidor sofre muito para conseguir vendê-lo. "Carros com peças e acessórios instalados foras das concessionárias autorizadas, como turbo, teto solar, afetam a estrutura do carro e dificultam a venda", avalia Natan. Carros de mulheres e idosos são bem vistos no mercado, avisa o gerente de marketing da Ford. "Mulheres e idosos tem mais cuidado com os veículos do que os jovens. São carros normalmente bem cuidados e de baixa quilometragem e, por isso, valem mais no mercado", avisa.O gerente de cotação da Molicar também aconselha o consumidor a evitar veículos com acessórios fora dos padrões normais de fábrica. "O carro perde seu valor de mercado e também pode apresentar problemas técnicos e mecânicos com as mudanças efetuadas pelo antigo proprietário. Além de ter dificuldade de vender, o consumidor pode ter grande prejuízo no bolso", explica Vitor Meizikas Filho.Outros veículos que podem virar "mico" são aqueles que são fabricados em séries limitadas ou apresentam inovações tecnológicas ainda não bem, aceitas pelo mercado. " Carros populares com equipamentos de série como air bag e freios ABS podem ser difíceis de vender, pois o consumidor pode perder dinheiro", avalia o gerente de cotação da MolicarCarros importadosQuando o assunto é carro importado, a prestação de serviço e assistência técnica no Brasil são os principais obstáculos. O gerente de cotação da Molicar explica que o que dificulta a venda de um importado é a sua manutenção e a reposição de peças. "O consumidor precisa ficar atento aos importados que possuem facilidades de manutenção, com peças mais baratas em caso de reposição e uma maior rede de assistência técnica e mecânica no país", alerta Vitor Meizikas Filho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.