Carga tributária chega a 41,23% do PIB, diz pesquisa

A carga tributária brasileira atingiu 41,23% do PIB no primeiro trimestre de 2003, a mais elevada da história do País, segundo levantamento divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). "A pesquisa demonstra que a carga tributária brasileira em relação ao PIB nunca esteve tão alta. Atingiu 41,23% no primeiro trimestre de 2003, ante 39,06% do igual período de 2002", informa o presidente do IBPT, Gilberto Luiz do Amaral.Segundo ele, na comparação entre o primeiro trimestre de 2003 e igual período do ano passado, houve crescimento da arrecadação de R$ 19,58 bilhões, com um salto de R$ 115,55 bilhões para R$ 135,13 bilhões. Com isso, a arrecadação com tributos cresceu nominalmente em 16,94% e, em termos reais, 4,57%. "Este arrocho é provocado pela política do governo Fernando Henrique Cardoso, com aumentos tributários já preparados no ano passado e pela manutenção das mesmas bases pelo governo Lula", disse Amaral.Segundo ele, a elevada carga tributária "possibilitou o superávit primário de 6,53% do PIB, nos primeiros quatro meses do ano, mas as conseqüências já são sentidas: retração da atividade industrial, aumento do desemprego, diminuição do consumo das famílias". Para o economista, ao manter a política monetária do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode ser considerado como o que provocou o maior arrocho fiscal da história do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.