Carga tributária é fator que mais preocupa empresas, aponta FGV

As indústrias consideram a carga tributária o maior entrave ao crescimento sustentado da economia nacional, seguida pelos juros em segundo e pela infra-estrutura deficiente em terceiro. Esse foi um dos resultados das questões especiais da Sondagem Conjuntural da Indústria de Transformação da Fundação Getúlio Vargas (FGV), realizada com 1020 empresas entre 20 de dezembro e 4 de fevereiro.A carga tributária, que já tinha sido campeã nisso na pesquisa de janeiro de 2004 com 56% dos votos, desta vez teve 58%, quase o dobro dos juros, indicados por 23% (ante 25% em 2004). Do início de 2004 para cá, a proporção de empresas que apontou a carga tributária como o fator mais negativo cresceu principalmente no segmento de materiais de construção, de 33% para 76%. Mas também houve redução em dois segmentos: bens de capital (máquinas e equipamentos), de 74% para 66%, e bens intermediários (como celulose e plásticos), de 52% para 49%.O porcentual dos que indicaram a infra-estrutura ruim como principal obstáculo ao crescimento aumentou de janeiro de 2004 para cá de 4% para 10%. "Acho que isso não é só choradeira dos empresários", disse o economista da FGV, Samuel Pessôa, acrescentando que os investimentos da União caíram 30% em 2004 em relação a média do período de 1999 a 2002, descontando a inflação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.